Inflação alta: Como proteger os seus investimentos?

Inflação alta: como proteger os investimentos da inflação

Inflação, essa vem sendo uma palavra muito dita nos últimos tempos, e não é à toa. A inflação, medida pelo IPCA (principal indicador de preços ao consumidor), registrou alta de 0,54% em Janeiro de 2022, levando o índice para 10,38% no acumulado em doze meses.

Mas o que isso significa para os seus investimentos?

Entenda como a alta da inflação impacta os seus investimentos e como você pode protege-los.

Neste artigo, você verá:

  • O que é inflação?
  • Por que acontece a alta da inflação?
  • Com a alta, o que é afetado?
  • Como proteger meus investimentos?

Boa leitura!

O que é inflação?

De acordo com o Banco Central do Brasil, Inflação é o aumento dos preços de bens e serviços, o qual implica na diminuição do poder de compra.

Sendo assim, ela representa o aumento do custo de vida para o consumidor e para as empresas, em decorrência da elevação dos preços dos produtos e da desvalorização da moeda.

Para entender bem como funciona a inflação, basta pensar da seguinte forma, com seu salário atual você consegue comprar as mesmas coisas que comprava a 5 anos atrás?

Provavelmente sua resposta foi não, e isso se dá pelo fato de hoje o dinheiro “valer menos” e por consequência disso você não consegue comprar as mesmas coisas.

Por que acontece a alta da inflação?

A inflação pode ter uma causa monetária (impressão de dinheiro pelo governo), pode ter causas psicológicas (agentes ajustam o preço porque acham que outro também vai ajustar) e pode ter uma causa real (um desajuste entre a oferta e a demanda por bens e serviços).”

(Pedro Rossi, professor do Instituto de Economia da Unicamp, ao portal G1)

A mesma pode ter várias causas, que podem ser agrupadas em:

  • pressões de demanda
  • pressões de custos
  • inércia inflacionária e
  • expectativas de inflação.

Alguns exemplos de fatores que têm pesado no aumento da inflação são:

Crise hídrica: A falta de chuva, baixos níveis dos reservatórios e a maior demanda por energia, fez com que fosse registrada a pior crise hídrica dos últimos 91 anos no Brasil. Por conta disso, a conta de luz teve o maior impacto individual, respondendo por 0,09 ponto percentual do IPCA de junho.

Combustíveis: O preço dos combustíveis também foi um dos vilões da alta da inflação, impactando outros preços em cadeia. Essa elevação dos preços dos combustíveis, puxou a inflação brasileira no mês de agosto, que ficou em 0,87%, a maior alta para o mês desde os anos 2000.

Dessa forma, fica evidente, que são muitas os fatores que causam o seu aumento.

Com a alta, o que é afetado?

O principal impacto é a diminuição do poder de compra. Quando os preços sobem, o dinheiro desvaloriza, consequentemente fazendo com que se consiga comprar menos.

Puxando agora para o lado dos investimentos, o principal impacto ocorre na rentabilidade das aplicações.

Isso porque existem diferenças básicas entre a rentabilidade nominal (aquela que registra o retorno bruto, sem descontos) e a rentabilidade real (que já tem o desconto de taxas, impostos e da inflação).

De maneira geral, a inflação gera incertezas relevantes na economia.

Como proteger meus investimentos da inflação?

Uma das melhores dicas que podemos dar é: Tenha uma carteira de investimentos diversificada!

Algumas possibilidades de investimentos são:

Fundos de investimentos e ETFs

Uma dica para proteger seu capital da inflação é investir em fundos de investimentos e ETFs. É importante notar que essas opções oferecem um maior risco, por isso, devem ser pensadas a médio e longo prazo.

Moedas estrangeiras

Investir em moedas de países desenvolvidos também é uma boa estratégia para proteger seus investimentos da inflação, já que as mesmas costumam ser mais estáveis.

Fundos Imobiliários

Os Fundos Imobiliários em geral oferecem proteção contra a inflação. Os fundos de papel, por exemplo, podem ter em carteira títulos de dívidas atrelados à inflação, como o IGP-M e o IPCA, ou seja, o rendimento desses títulos é protegido contra mudanças nos preços da economia.

Tesouro IPCA

Um dos investimentos mais conservadores e, por essa razão, considerado um dos mais seguros é o Tesouro Direto. Essa modalidade consiste em adquirir títulos públicos emitidos pelo governo. O risco de inadimplência é extremamente baixo, já que são vinculados ao Estado.


Ouvir Podcast:


Gostou do post? Então fique por dentro dos próximos conteúdos que iremos postar aqui!

Quer saber mais sobre renda variável, quais empresas investir e qual a melhor forma de fazer seus investimentos render? Conte com o Rendi! Somos uma casa de análise focada em investimentos, com a missão de fazer seu dinheiro render!

Acesse nosso site https://rendi.app.br, e tenha acesso as melhores dicas e informações sobre o mercado financeiro para te ajudar a investir da melhor forma!

2 Shares:
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You May Also Like